A Lua faz o chão tremer?

Terremotos talvez tenham as fases da Lua como gatilho.

O planeta Terra sofre diversos abalos sísmicos praticamente todos os dias, mas eles são em geral tão fracos que nem são sentidos ou não causam danos na superfície. Sabemos disso por causa dos sismógrafos, aparelhos que captam e registram os tremores.

Em 2010, o mundo sofreu 3 grandes abalos sísmicos que chocaram a humanidade com a força de sua destruição.

O primeiro arruinou o Haiti em 12 de janeiro de 2010 com sua Magnitude de 7,0 Mw (escala de magnitude de momento), e com epicentro a 10 km de profundidade.

O segundo ficou conhecido como Sismo do Chile, ocorrido na Região de Maule, e abalou aquele país no dia 27 de fevereiro de 2010 com uma Magnitude de 8,8 Mw. Este terremoto foi tão forte que deslocou o eixo da Terra em 8 cm e encurtou os dias em 1,26 microssegundos.

O terceiro, na província ocidental de Qinghai, no noroeste da China, aconteceu em 14 de abril de 2010. Sua Magnitude foi 6,9, e as perdas imensas.

Um fato curioso e que quase ninguém percebeu foi o intervalo de tempo entre aqueles três abalos sísmicos.

Entre o terremoto do Haiti e o do Chile se passaram 46 dias.

Entre o terremoto do Chile e o da China se passaram 46 dias

Exatos 46 dias separam esses 3 grandes terremotos. Pode ser apenas coincidência, mas e se não for?

De acordo com a teoria atual, os abalos sísmicos são provocados por falhas na crosta terrestre, que é toda recortada em placas tectônicas, como se a Terra fosse um enorme ovo de casca rachada. Essas placas estão sobre uma camada menos sólida, por isso se movimentam lentamente, se chocam e sofrem pressões concentradas nas falhas. Sem aviso prévio, uma região de contato entre duas placas, onde uma quantidade imensa de energia elástica havia se acumulado, pode subitamente liberar a energia na forma de um tremor.

Considerando os três terremotos citados, o que pode ter acontecido para orquestrar os abalos sísmicos com intervalos de tempo tão precisos?

Voltando os olhos para cima, vamos ver o que estava acontecendo com a Lua naquelas datas.

Em 12 de janeiro de 2010 (Terremoto do Haiti), a Lua estava entrando na fase de Nova, e atingiu o ápice em 15 de janeiro.

Em 27 de fevereiro de 2010 (Terremoto do Chile), a Lua estava quase Cheia. Ela se tornou cheia no dia seguinte, 28 de fevereiro.

Já em 14 de abril (Terremoto da China), a Lua voltou a ficar Nova, exatamente no mesmo dia do abalo.

Há muito se sabe que a Lua influencia as marés, movimentando imensas quantidades de massa oceânica por conta de sua influência gravitacional. Será que ela exerce alguma influência no manto viscoso da Terra?

Se a resposta for sim, pode ser que algum fenômeno ainda pouco estudado possa ter desencadeado os eventos sísmicos de 2010, e a Lua poderia ter um papel preponderante sobre ele.

Durante a Lua Nova, nosso satélite está situado entre a Terra e o Sol, sendo este o motivo de ela mostrar sua face totalmente coberta de sombra. Já na fase de Lua Cheia, o satélite está situado na posição oposta, com a Terra entre o Sol e ela. O ciclo lunar total dura 29,5 dias, ou seja, este é o tempo que ela leva para dar uma volta em torno de nosso planeta.

Nos terremotos citados, a Lua deu uma volta e meia ao redor da Terra entre cada sismo.

A órbita da Lua também não é um círculo perfeito ao redor da Terra. Ela se afasta (apogeu) e se aproxima (perigeu) em ciclos que podem ser calculados. Além disso, a Terra não fica parada em uma órbita perfeita ao redor do Sol. Terra e Lua ficam dançando no espaço ao redor de um eixo imaginário chamado baricentro… Esse baricentro não é o eixo da Terra, mas um eixo que fica 4790 Km longe do eixo de rotação de nosso planeta, ou seja, pouco menos de 2000 Km abaixo da superfície.

Sabendo que o sistema Terra-Lua é dinâmico, e que a Lua causa marés, não seria natural imaginar que um fenômeno parecido com as marés possa acontecer abaixo da crosta?

Assim, esse período de 46 dias parece ter acompanhado uma volta e meia da Lua ao redor de nosso globo, enquanto o perigeu lunar foi um dos mais intensos em 27/02 (durante o terremoto do Chile, que mudou a inclinação do eixo da terra).

Acreditando nisso, é como se o baile entre a Terra e a Lua tivesse sofrido um pequeno tropeço, desestabilizado o casal e criado um fenômeno de “repuxão” no interior pastoso do planeta. Esse desequilíbrio repercutiu como um eco quando a Lua estava Nova ou Cheia. Ela e o Sol podem ter dado uma nova sacudidela no magma, movendo um pouco as placas tectônicas que estivessem aptas…

Será que essa foi a causa dos terremotos sincronizados de 2010?

Se tiver sido, talvez no futuro – caso algum cientista da área com mente aberta leia este texto – possamos entender melhor o fenômeno dos abalos sísmicos e até prever quando vão acontecer, com base na movimentação do magma causada pela força gravitacional lunar.

Lua Cheia Rogério PietroApenas para complicar ainda mais a vida dos geólogos e astrônomos, é importante citar que entre o terremoto do Haiti (12/01) e o do Chile (27/02), aconteceu o que podemos chamar de quarto abalo sísmico, porém mais fraco e sem grandes consequências. Ele aconteceu no dia 31 de janeiro na China. A Lua estava Cheia exatamente naquele dia.

Anúncios